Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.tede.universidadefranciscana.edu.br:8080/handle/UFN-BDTD/724
Tipo do documento: Dissertação
Título: EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO NA DEPRESSÃO: UM ENSAIO CLÍNICO COM MULHERES OBESAS SEDENTÁRIAS
Autor: Soares, Thaise Dutra
Primeiro orientador: Branco, Jerônimo Costa
Primeiro coorientador: Peroza, Luis Ricardo
Primeiro membro da banca: Jansen, Karen
Segundo membro da banca: Moraes, Cristina Machado Bragança de
Resumo: Introdução: Depressão e obesidade custam à economia mundial trilhões de dólares por ano e estão diretamente associadas. A participação regular em programas de exercícios físicos e a mudança no padrão alimentar são apontados como medida de tratamento e prevenção para estas duas patologias. Dessa maneira, objetivou-se avaliar a influência de dois programas de exercícios físicos sobre a depressão de mulheres obesas sedentárias do município de Santa Maria-RS, assim como sua influência na composição corporal e consumo alimentar. Metodologia: Foi realizado um ensaio clínico randomizado. A amostra foi composta por 97 mulheres obesas e sedentárias, com idades entre 20 e 60 anos, que não faziam uso de fármacos antidepressivos. A coleta de dados foi realizada no período de setembro de 2017 à dezembro de 2018 na Universidade Franciscana. Um programa de 16 sessões de exercícios físicos foi aplicado, em metade das voluntárias no solo e na outra metade na água. A depressão foi avaliada pelo Inventário de Depressão de Beck (BDI), a composição corporal pelo aparelho tetrapolar para bioimpedância (Byodinamics, 310) e medidas de antropometria, e o padrão alimentar pelo Recordatório Alimentar de 24 horas e Questionário de Frequência Alimentar. Resultados: Houve uma redução na prevalência da depressão de 24,2% (p=0,001) e no escore de depressão em 6,24 pontos (p=0,001).O grupo que executou exercícios na água obteve redução da massa muscular (p=0,008) e circunferência abdominal (p=0,008) e aumento significativo da gordura (p=0,001), enquanto que o grupo que realizou exercícios no solo, obteve redução da massa magra (p=0,066) e circunferência abdominal (p=0,008).Ainda, houve redução da ingestão calórica diária (p=0,001), sem alteração dos demais macro nutrientes. Conclusão: a aplicação de exercícios físicos em uma amostra de mulheres obesas previamente sedentárias, tanto em meio aquático, quanto no solo, foi capaz de reduzir a prevalência e a intensidade de depressão, e gerar redução do peso, IMC e circunferência abdominal, além de reduzir o consumo de calorias diário, sem alterar o padrão nutricional da dieta.
Abstract: Introduction: Depression and obesity cost the world economy trillions of dollars a year and are directly associated. Regular participation in physical exercise programs and changes in dietary patterns are indicated as a measure of treatment and prevention for these two pathologies. The objective of this study was to evaluate the influence of two physical exercise programs on the depression of sedentary obese women in Santa Maria-RS, as well as their influence on body composition and dietary pattern. Methods: A randomized clinical trial was conducted. The sample consisted of 97 obese and sedentary women, aged between 20 and 60 years, who did not use antidepressant drugs. Data collection was carried out from September 2017 to December 2018 at the Franciscan University. A program of 16 sessions of physical exercises was applied in half of the volunteers in the soil and the other half in the water. Depression was evaluated by the Beck Depression Inventory (BDI), the body composition by the four-way device for bioimpedance (Byodinamics, 310) and anthropometry measures, and the food standard by the 24-hour Food Recall and Food Frequency Questionnaire. Results: There was a reduction in the prevalence of depression of 24.2% (p = 0.001) and of the depression score in 6.24 points (p = 0.001). The group that performed exercises in the water obtained a reduction of the muscular mass (p = 0.008) and abdominal circumference (p = 0.008) and a significant increase of the fat (p = 0.001), while the group that performed exercises in the ground, obtained reduction of the mass (p = 0.066), waist circumference (p = 0.008) and waist circumference (p = 0.004). Also, there was a reduction in daily caloric intake (p = 0.001), without alteration of the other macronutrients. Conclusion: the use of physical exercises in a sample of previously sedentary obese women, both in the aquatic environment and in the soil, was able to reduce the prevalence and intensity of depression, and generate weight reduction, BMI and waist circumference, in addition to reducing daily calorie consumption without changing the nutritional pattern of the diet.
Palavras-chave: Obesidade. Atividade física. Composição corporal. Alimentação.
Obesity. Physical activity. Body composition. Food.
Área(s) do CNPq: Ciências da Saúde e da Vida
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Franciscana
Sigla da instituição: UFN
Departamento: Ciências a Saúde e da Vida
Programa: Mestrado em Ciências da Saúde e da Vida
Citação: Soares, Thaise Dutra. EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO NA DEPRESSÃO: UM ENSAIO CLÍNICO COM MULHERES OBESAS SEDENTÁRIAS. 2019. 75f. Dissertação( Mestrado em Ciências da Saúde e da Vida) - Universidade Franciscana, Santa Maria - RS .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://www.tede.universidadefranciscana.edu.br:8080/handle/UFN-BDTD/724
Data de defesa: 28-Fev-2019
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências da Saúde e da Vida

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_ThaiseDutraSoares.pdfDissertação765,11 kBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons